Pai e filha conversando

Temas delicados: como falar com crianças sobre a morte?

Crianças passam o tempo todo a nos surpreender com perguntas e questionamentos sobre os mais diversos assuntos. E cabe a nós sempre dar a elas as respostas mais sensatas, respeitando a idade e o contexto de cada situação. Mas, o que fazer quando surgirem perguntas sobre temas delicados?

Uma situação bem comum é a morte de um familiar ou amigo próximo. Diante de um acontecimento como esse, é normal que a criança pergunte o que aconteceu com a pessoa e por quê. O ideal é tentar ser o mais realista possível, sem deixar de ser delicado, para não causar traumas à criança.

Pensando em ajudá-lo a reagir bem quando o seu filho perguntar sobre algum conhecido que faleceu (ou até mesmo o seu animalzinho de estimação), separamos abaixo 3 dicas de ouro!

1. Não minta ao abordar temas delicados

Não caia na tentação de inventar uma história de que a pessoa (ou animal) fez uma viagem ou algo parecido. Esse tipo de explicação cria uma falsa expectativa de que o falecido voltará e, dependendo do quanto a criança era apegada a ele, isso pode tornar-se nocivo. Ela deve estar ciente, também, de que quem morre não volta mais.

É necessário explicar que todos os seres vivos seguem um ciclo, que consiste em nascer, crescer e morrer. Se a criança perguntar se ela também vai morrer, explique todos morreremos um dia. O mais importante é ter sensibilidade na forma de abordar o tema com a criança.

2. Faça comparações

Ao contrário do que você pode pensar, as crianças ouvem falar da morte antes mesmo de que toquemos no assunto com elas. O tema está presente nos noticiários, nas conversas dos adultos nas ruas e até mesmo em situações banais, como a barata na qual você dá uma chinelada.

Provavelmente, a criança também já está acostumada a ver as flores da casa murcharem. Quando surgirem os questionamentos sobre a morte, você poderá usar esse fato como exemplo: explique que, assim como as flores, todos os seres vivos morrem um dia.

Além disso, você pode se valer de elementos lúdicos, como livros e filmes. O Rei Leão ou Bambi, por exemplo, contam histórias que englobam a morte de algum personagem. Esses filmes, que tratam o tema com mais leveza, ajudarão a criança a entender, de forma natural, como funciona o nosso ciclo de vida.

3. Ouça o que a criança tem a dizer

Mais do que simplesmente falar sem parar, você deve ouvir o que a criança tem a dizer. Ela deve ser encorajada a expressar seus sentimentos diante do ocorrido e tirar todas as suas dúvidas.

Você também não precisa esconder que está triste. Ela precisa entender que a tristeza é um sentimento comum nessa situação, mas que, depois, ela vai passar.

Caso o seu filho queira ir ao funeral ou mesmo “dar um último beijo” na pessoa que faleceu, não o impeça. Avise-o de que ele verá cenas tristes, como o caixão e as pessoas chorando ao redor, mas entenda que, para algumas crianças, ver ajuda a elaborar a perda.

Falar de assuntos delicados com crianças pode causar um pouco de receio, mas, seguindo as dicas que demos, é possível abordar temas complicados de modo que os pequenos entendam bem o que acontece, sem traumas ou mentiras.

Se você encontrou neste post informações úteis sobre a melhor maneira de tratar de temas delicados como a morte com crianças, deixe seu comentário abaixo e compartilhe suas experiências!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *