Avós modernos: eles ajudam os filhos, cuidam dos netos e trabalham. Como?

Os avós modernos parecem estar muito mais saudáveis e ativos: eles correm, trabalham, vão na academia e cuidam dos netos. Entenda agora o que mudou para que nossos pais queridos consigam fazer tantas coisas e descubra o que pode acontecer quando existe a “terceirização” da educação dos filhos aos avós.

Como os avós modernos ajudam?

Hoje em dia, os avós trabalham quase como substitutos: em casos em que os pais faleceram, abandonaram, são muito jovens ou, até mesmo, quando trabalham muito. A casa da vó adquiriu um novo significado, passou de local de almoço de domingo, para um ponto de encontro no qual netos convivem, brincam e crescem juntos.

Os avós modernos possuem muito mais energia, disposição e mantêm-se fisicamente ativos por mais tempo. Dessa forma, podem engajar-se em brincadeiras com os netos, correr atrás deles, levantar e agachar com mais facilidade.

Existe uma troca muito interessante após a revolução da internet: os avós podem contar como era no tempo deles e as crianças podem ensiná-los a navegar na web. É muito inovadora essa partilha de conhecimentos da qual ambos saem com algo novo.

Diante desse novo cenário, você deve estar se questionando sobre o que mudou, correto? Confira o que contribuiu para essa alteração:

Avós estão mais ocupados

Os idosos não precisam mais ser dependentes de nada, nem ninguém. Assim como qualquer pessoa, estão com a liberdade de ser e fazer o que quiserem. O mundo dividiu os tipos de avós e aqueles velhinhos cansados que só ficavam sentados já estão quase extintos.

Existe uma porcentagem de avós que ainda estão inseridos no mercado de trabalho e não possuem os recursos para tomar conta dos netos. Ainda há aqueles que querem viver e aproveitar as coisas, já que não têm mais tantas responsabilidades e, por isso, viajam e participam de diversas atividades.

A expectativa de vida aumentou

A expectativa média de vida aumentou 40 anos nas últimas 11 décadas, segundo o IBGE. Em 2014, chegou-se a expectativa de vida média de 75,4 anos. Isso significa que essa geração de avós poderá ter entre 20 e 30 anos de convívio com os netos.

Os avós modernos poderão ver suas crianças crescerem, terem filhos e conviver com os mesmos até que eles estejam na idade adulta. Muitos viverão para ser bisavós — este acontecimento não será mais uma raridade.

Ainda existem muitas adolescentes grávidas

Por outro lado, há um número muito alto de filhos com pais incapazes de educar da maneira correta e isso pode acabar como responsabilidade dos avós. Mesmo que a quantidade de adolescentes grávidas tenha caído 17% entre 2004 e 2015, as crianças de mães entre 10 e 19 anos, representam 18% dos nascidos vivos brasileiros em 2015.

O que “terceirizar” seu filho pode causar?

Assim como a terceirização de serviços é passar alguma atividade para outro fazer, crianças também passam por terceirização. Seja o avô, avó ou babá, quando os responsáveis não são os pais, algumas interferências sérias na educação do seu filho podem acontecer. Veja a seguir algumas delas:

Quebra de vínculo

O papel, principalmente, da mãe é essencial para a criança. A falta de tempo, de afeto dos pais e a quebra desse vínculo importante pode trazer sérias consequências, tais como a não valorização, a falta de respeito e cuidado com o próximo.

Isso acontece pelo fato da criança se sentir abandonada e não aprender a valorizar os sentimentos do outro, já que os seus próprios não foram valorizados.

Falta de educação

A educação vem, sim, de casa. A escola ensina e alfabetiza, mas a maneira de se comportar, pedir em vez de mandar, ter carinho e respeito com os outros, saber esperar a sua vez e reconhecer seus limites, quem ensina é a família. Não é correto exigir um comportamento do filho, se os responsáveis não tiveram tempo de ensiná-lo, nem ficarem bravos com os avós que tendem a ser mais divertidos do que “durões”.

Essas são apenas duas das complicações que se pode ter ao terceirizar a criação dos filhos. Existem muitas outras e, mesmo que os avós modernos ajudem, eles não devem ser responsabilizados pela educação dos netos. Se você gostou do nosso post e quer receber nossas novidades, assine nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *